Autoestima e carreira: como estão relacionados?

16 mar 2021

Autoestima e carreira são elementos que estão diretamente relacionados. E a autoestima vai muito além da percepção de aparência que a pessoa tem de si mesma. Trago esse tema porque, em meus atendimentos e mentorias de carreira e marca pessoal, geralmente os profissionais têm dúvidas em identificar quais são as suas principais forças e habilidades. Essa dificuldade em reconhecer seus talentos pode ser decisiva no momento de uma transição de carreira ou para atingir aquela promoção tão desejada na empresa.

Mas, você sabe exatamente o que significa autoestima? Entende qual a importância dela para a carreira e como a desenvolver? Ter autoestima significa saber quem você é e ter consciência sobre os principais pontos fortes. Essa característica permite que a pessoa saiba como utilizar as suas potencialidades para agregar valor, tanto para a carreira, quanto para a vida pessoal.

Ter autoestima lhe permite enfrentar desafios e obstáculos e ainda aprender boas lições deles. Além disso, é ela que dá força para persistir e resiliência para seguir em busca do que acredita.

Profissionais com autoestima elevada acreditam na sua capacidade e assumem suas competências. Também possuem mais energia e disposição para as atividades, além de maior capacidade de motivar e inspirar pessoas. Quem tem autoestima reflete saúde equilibrada, bons relacionamentos, estilo de vida saudável e, claro, maior produtividade.

Como a autoestima afeta a sua produtividade no trabalho?

Aquela famosa sensação de não ser capaz de dar conta das tarefas e tendência a procrastinação dos seus afazeres podem ser causadas pela falta de autoestima e influenciar diretamente sua carreira. Há alguns sinais de alerta para saber se a falta de autoestima tem marcado presença nas atividades diárias:

  • Você tem pensamentos e comportamentos pessimistas?
  • Sente dificuldade de expressar suas opiniões?
  • Percebe falta de confiança em si mesmo?
  • Sente medo de assumir novas atividades e desafios?
  • Tem tendência a procrastinar as atividades?
  • Resiste em aceitar e aprender com seus erros?

Lembre-se que esses comportamentos abalam também a sua predisposição à comunicação, reduzindo sua rede de contatos e, consequentemente, oportunidades profissionais. Se você se identificou com essas situações, confira as dicas para transformas e resolver essas pendências.

Como desenvolver sua autoestima? Nossa autoestima começa a se desenvolver na infância sendo estimulada ao longo de toda nossa vida. Sugiro abaixo algumas atividades que podem nos auxiliar nesse processo.

Tenha objetivos e metas definidas: Como já dizia o ditado, para quem sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve. Ter planejamento e direcionamento no que deseja para sua vida te ajuda a transformar sonhos em realidade.

Atividade: Faça uma lista com seus objetivos de vida e carreira para este ano. Como você deseja chegar em dezembro (salário, função, cargo, empresa, tempo de qualidade, saúde e felicidade) que atividades precisam acontecer para que isso aconteça da melhor forma. Com a lista em mãos, faça o que precisa ser feito e siga em frente!

Identifique e reconheça suas habilidades e competências: Exercício de autorreflexão e testes comportamentais contribuem nesse processo. O Disc, Via Charter, Quantum ou Eneagrama podem ser grandes aliados nesse exercício de autoconhecimento (você encontra algumas versões disponíveis gratuitamente na internet). Outra dica importante é estar atento aos feedbacks que seus colegas de trabalho lhe passam, muitas vezes em bate-papos informais. Outra sugestão é ter uma conversa franca com alguém de sua confiança e que te conhece bem para que destaque suas qualidades e as justifique com sinceridade.

Atividade: Faça uma lista com 10 qualidades suas ligadas ao trabalho ou vida pessoal. Descreva como cada uma delas contribui para o sucesso das suas atividades.

Exercite seu estado de presença: O exercício de estar presente no aqui e agora ajuda a se desligar de ocasiões que roubam a sua concentração e permite direcionar seu foco para a atividade que está realizando. Quando isso ocorre, conseguimos ter mais discernimento sobre o que estamos fazendo. A presença nos traz de volta ao nosso eixo, nos faz tomar decisões assertivas. Quando você se dispõe a escutar e estar com alguém em pleno estado de atenção, automaticamente cria-se uma conexão empática e profunda.

Segue a dica de Fernando Henriques, CFO que compartilha em artigos publicados no LinkedIn suas percepções sobre liderança e relação com a prática de esportes. “ …’Presença’ diz respeito a deixar de viver eventos passados e dar uma freada nos pensamentos futuros. A própria pandemia, inclusive, nos prova isso — quem poderia prever tudo o que estamos vivendo agora? Não adianta lamentar o que já foi e nem projetar o que será. Na prática, estes pensamentos se convertem em perda de tempo”.

Atividade: Defina uma atividade a ser realizada e reserve um tempo especial para que, durante o processo, você possa estar “isolado” de outras pessoas, inclusive de celulares e aplicativos de mensagem. Permita-se focar essencialmente no que precisa ser feito e perceba a diferença nos resultados.

Aceite novos desafios: Muitas pessoas recusam oportunidades incríveis por não acreditarem que conseguem. Mas com uma autoestima sólida, a situação é totalmente diferente. Você sabe do que é capaz e aceita sair da zona de conforto rumo a novas oportunidades que te levam para mais perto do sucesso profissional e da conquista dos sonhos.

Atividade: Se proponha a desenvolver uma nova habilidade. Pode ser um esporte, trabalho manual ou novo conhecimento/competência. Na pandemia, aumentaram as possibilidades disponíveis e gratuitas na internet.

Aprenda a lidar com os próprios erros: Errar faz parte da jornada. Todos erram mais do que acertam e o aprendizado retirado dessas situações leva ao sucesso. Dessa forma, com uma autoestima bem desenvolvida, é possível identificar e lidar com os erros de forma positiva, corrigindo-os para seguir em frente.

Atividade: Escreva sobre seus 3 principais erros na carreira e descreva como cada um deles contribui para seu crescimento e aprendizado.

Tenha um mentor: Ter um profissional que possa ser sua referência e seu ponto de apoio ao longo da trajetória é fundamental. Um mentor te inspira e contribui para seu constante desenvolvimento profissional. No livro Carreira e Pós-Carreira, de Adilson Mirante – que é um dos meus mentores –, ele diz: “O mentor é uma referência importante em seu desenvolvimento profissional.

Se necessário, procure e contrate um mentor. Todo conselheiro de carreira é um mentor ou coach. Seu mentor deve ser alguém com sabedoria, grande relacionamento institucional, afinidade com seus objetivos e interesse em ajudar você. Ou seja, alguém que tem e cultiva contato com empresas e vagas. No entanto, tome cuidado e não faça do seu mentor seu superego. Procure achar soluções sozinho, tome decisões e não tenha medo de errar. O mentor dá visibilidade à estrada e aos caminhos, mas é você quem está dirigindo”.

Atividade: Quem são seus mentores? O que você admira nesses profissionais? Como estar em contato com eles tem contribuído com seu desenvolvimento?

Invista em si mesmo: Quem tem uma boa autoestima se valoriza. Ou seja, sabe que você é o seu melhor investimento. Invista constantemente em seu desenvolvimento para tornar-se um profissional e uma pessoa cada vez melhores.

Passe a dar mais valor para as suas conquistas e vitórias e também aos seus erros. De posse dessas informações, siga adiante. Certamente seus processos de transição de carreira serão mais leves e breves e o farão descobrir que é capaz de muito mais do que imagina.

Mais informações sobre o tema, você pode conferir no link da edição para o quadro Minha Carreira, que apresento no Jornal Século News todas as quartas-feiras. https://www.instagram.com/tv/CL9fx_3nNX_/

Boa Sorte e Sucesso Sempre!

Espero vocês no LinkedIn e entre em contato:
Carla (Carla Falcão Bueno) Falcão | LinkedIn
www.carlafalcao.com.br