Como pensar na carreira de acordo com a idade

30 Maio 2019

“Boa mesmo era a época do seu tio Elias. Ele fez carreira. Ficou 35 anos na mesma empresa: começou como aprendiz, virou gerente, depois diretor, e se aposentou com um bom salário”. Todo mundo já deve ter ouvido uma história como essa. O fato é que esse tipo de narrativa tem, cada vez mais, ficado para história.

Hoje, o que se vê é um cenário muito mais meritocrático e inquieto. A noção de carreira para os jovens deixou de ser aquilo que propunha o tio Elias – o que, inclusive, garantiu inúmeros desafios para as empresas e o jargão “retenção de talentos”. Mas como pensar o futuro do mercado de trabalho de acordo com a idade? Separamos algumas dicas:

Aos 20: encontrar propósito

Nesta fase, o profissional precisa da ajuda de pessoas para ganhar experiência e descobrir, na prática, que tipo de trabalho deseja seguir. É o momento para descobrir seu propósito. Experimentar, aceitar novos vôos e não fechar as portas. Plantar boas sementes nesta fase de vida pode ser o diferencial para continuar ativo e bem-sucedido aos 50. Pensar em freelas, aumentar a rede de contatos, fazer novos cursos, pós-graduações, MBAs, começar um mestrado: tudo isso pode ser importante na descoberta de um propósito.

Aos 30: divisor de águas

Aos 30 normalmente a pessoa já sabe o que quer. Uma carreira, uma família, filhos talvez. O melhor dessa fase é que ainda se pode ousar, empreender, como nos 20 anos, com a diferença que, aqui, é possível nutrir uma visão de longo prazo mais madura. Nesta fase, a experiência deve ser ampliada, continuar estudando e ampliando a rede de contatos. É importante formar a sua marca profissional: como deseja ser percebido pelo mercado! Quanto mais conteúdo e prática, melhor para qualquer decisão profissional que tenha que fazer.

Aos 40: a hora da planagem

Os profissionais que conseguiram construir as duas primeiras fases com sucesso certamente poderão desfrutar dos benefícios de uma carreira ou um negócio. Nesta fase, a pessoa é vista como influenciador. Jovens de 20 e 30 anos precisam da sua experiência para conseguir encontrar o próprio caminho. Se for um líder, é a hora de inspirar pelo exemplo. Este é o momento da planagem: tudo o que conseguiu e ousou, até agora, deve servir para começar uma vida mais estável e focado na manutenção das conquistas.

Aos 50: renovar é preciso

A década anterior à aposentadoria vem para desmontar. O que quer dizer isso? Muitos profissionais, nesta fase, precisam lançar mão de um coaching ou uma mentoria para descobrir novos propósitos, uma vez que aqueles definidos nas primeiras décadas já não dialogam mais com a maturidade dos 50. Muitos escrevem livros. Outros veem mais vantagem em se tornar consultores e começam a palestrar e dividir suas experiências com os mais jovens. Aqui, o profissional ainda é visto como influenciador e essa é uma vantagem que deve ser aproveitada.

Seja qual for sua trajetória profissional, não existem fórmulas prontas. Acredite em suas escolhas e faça acontecer. Se gostou deste artigo, é só acompanhar nossos posts aqui no blog e ficar por dentro dos principais temas sobre o mercado de trabalho.